terça-feira, 8 de maio de 2012

No fundo de mim...


Illustração: Wallcoo
Como todo rio de águas claras, reflito o que vem até mim. E se chegares somente até a beira nunca saberás ao certo o que guardo aqui dentro. Podes respirar fundo e mergulhar de cabeça e de coração em mim. E nem adianta vires de bote, é preciso que me toques. 

(Karla Thayse Mendes – 10/03/12)

6 comentários:

  1. Olá..amei o seu cantinho!
    E posso falar: amei o post,me inspirou..rs.
    Se quiser da uma passadinha no meu blog,se gostar,siga-me:

    http://comamoremaiscaro.blogspot.com.br/

    beijo.sz

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ka, boa tarde!!
    Ah, sem dúvida! Que texto maravilhoso! Isso de chegar e olhar só reflete rosto, só fala de exterior. A coragem do mergulho se exige a quem queira provar os perigos ou graças da profundidade, da imersão, do toque. O rio até gosta de ser observado, mas só se dá ao que a ele se entrega.
    Um beijo carinhoso
    Doces sonhos
    Lello

    ResponderExcluir
  3. Vez em quando vem crianças fazendo pirraça. Adultos chorar mágoas e aconselhar-se sobre a vida. Mas são raros os que buscam ficar mergulhados na imensidão de uma alma.

    ResponderExcluir
  4. A minha volta tem um monte de gente de bote, na superfície. Só sei disso porque de vez em quando
    boto a cara pra ver se tem alguém tentando descer ao fundo. Se alguém desce é um deleite. Não tem sido assim. Sorte que gosto do fundo. É sempre bom beber da água clara do seu rio poético. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Que lindo!!! Sempre leio suas palavras, elas espelham tanto de mim!
    Se permitir, postei no meu mural do facebook sua postagem de hoje, com os devidos direitos autorais, claro! ^^

    ResponderExcluir
  6. Que graça a delicadeza de suas palavras!
    Bjs
    RITA
    www.olharesedetalhes.blogspot.com

    ResponderExcluir

"Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam pra você." [Vanessa Leonardi]