sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Abrindo meu coração para vocês...

Ilustração: Ana Oliveira

Caros leitores amigos,

Venho aqui agradecer a todos vocês pelo carinho e palavras doces de sempre, vocês que me acompanharam desde o início do blog e puderam ver aqui tudo que o meu coração sempre disse de forma escrita e verdadeira. Nos últimos dias me faltam inspirações felizes, me faltam palavras doces para falar de esperança e de amor bonito como eu sempre falei aqui, então, eu não acho justo disseminar minhas desilusões, acho que nós devemos ser sempre instrumentos de amor e de esperança para o próximo. Por isso peço licença a todos para me afastar por um tempo daqui até que pensamentos lindos voltem a me envolver e tenho certeza que isso não irá demorar de acontecer, tenho fé!

Fiquem com Deus!
Minhas desculpas, um beijo carinhoso
e até um lindo dia de Sol.

Karla - 29/01/10

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Rio de lágrimas...

Ilustração: Tzdz
Ela tinha mergulhado tão a fundo nas águas daquele Rio... Mergulhou sem medo, de olhos e braços abertos. Lá em baixo, deitou no chão de areia e escreveu uma linda história de amor com a ponta dos dedos. Ela não queria sair dali, queria ficar ali pra sempre. Ali ela sentiu-se pela primeira vez inundada de amor e de felicidade. Mas na primeira seca o Rio já foi partindo de fininho sem nem avisar. Quando ela se deu conta estava com os pés dentro de águas rasas, águas que não demoraram a evaporar. Ela não sabia mais como viver em terra firme, não suportaria acordar em dias secos. Então ficou ali parada e chorou... chorou... chorou por dias e dias até afundar-se no rio de suas próprias lágrimas, de onde não conseguia mais sair.

(Karla Thayse Mendes - 19/01/10)
"Você era capaz apenas de viver as superfícies,
enquanto eu era capaz de ir ao mais fundo."

[Caio F. Abreu]


A verdade é que ela nunca deveria ter atravessado aquela ponte.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Nuvens negras...

Ilustração: Ana Oliveira
Dissestes que me mostrarias o céu mais lindo de se ver...
Cadê?
E agora sem você vejo meu céu cheio de nuvens carregadas
prontas para desaguar aqui.
Enfim...
Chuva, por favor, lava essa tristeza de mim.
Assim...

(Karla Thayse Mendes - 20/01/10)


"Repito sempre:
sossega, sossega -
o amor não é para o teu bico."

[Caio F.]

domingo, 24 de janeiro de 2010

Lamentos...

Quando pedi a Deus pra me mandar alguém que me fizesse acreditar no amor, Ele me mandou alguém que destruiu as minhas últimas esperanças. Acho que eu não pedi com toda a minha fé.


(Karla Thayse Mendes - 20/01/10)
" Meu coração tá ferido de amar errado."

[Caio F.]

O amor não é pra qualquer um...

Ela cravou as maos no peito com toda força. Queria rasgar as estruturas e arrancar de vez do coração aquela dor terrível. Desde o início ela sabia que iria se machucar como sempre foi, mas o coração insistiu tanto, e dessa vez ele tinha um sorriso tão cheio de esperança que a menina se encheu de fé e deixou o amor entrar. E o amor veio tão lindo e vestido de uma felicidade com a qual a menina jamais sonhara. Então ela desarmou o coração, ficou leve... Amou de verdade. Mas ninguem tinha lhe falado que o amor sempre chega e vai embora e ninguem tinha lhe explicado como isso machuca a alma. E agora chora ali sentada. Seus braços são fracos de mais pra carregar o peso dessa dor. Pobre menina, o amor de verdade não é para todos e pra ela pode não ser. Talvez agora ela aprenda isso de uma vez.

(Karla Thayse Mendes - 19/01/10)
"Uma vez me disseram
que eu jamais amaria de um jeito
que "desse certo"...
Pode ser.
Pequenas magias."

[Caio F]

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Eu em translação...

E eu que sempre andei tão equilibrada no fio da minha corda bamba, levei um tombo numa dessas noites de outono. Como um fruto que antes verdinho no pé, agora maduro obedece à lei da gravidade e vai direto ao encontro do chão. Esta simplesmente é a dinâmica da natureza. Certo dia inclinei-me em direção ao Sol, e a partir daí tenho deixado ele me tocar recebendo por diferentes ângulos o carinho dos seus raios. Fecho os olhos e giro ao seu redor numa aventura translacional. Então eu chovo, faço sol, chuvisco, pinto um arco-íris no meu céu azul e fico nublada... Renovo-me em quatro estações. Já floresci na primavera, já esquentei a cabeça num verão, já esfriei as emoções num inverno, mas nada me marcou tanto quanto aquele tombo que eu levei no outono. Quando vi teus olhinhos que conseguiram ofuscar a luz da Lua em mim, me rendi e caí da minha árvore de autocontrole. Caí nos melhores braços que já me abraçaram, dentro do teu aconchego bom. Desde então Meu Bem, eu Caio de amores todos os dias por você... Quero chover ou ensolarar do teu lado, em qualquer fuso horário ou em qualquer estação. E que sejas sempre primavera, verão, outono ou inverno em mim.

P.S. Para quem me fez sorrir e chorar... No momento, este último verbo me pesa mais e a dor de carregar é grande, mas meus braços cansados irão conseguir... Eles sempre conseguem. Só que por enquanto dói.


(Karla Thayse Mendes - 11/11/09 - ♥)