domingo, 12 de setembro de 2010

A nossa praça...

Ilustração: Wallcoo
Passei por ali um dia desses, era fim de tarde e o sol iluminava saudoso o cenário daquele amor. Lembrei de quando eu chegava e você me esperava sorrindo, sentado ali naquele banquinho de madeira, agora vazio. E coria pra me envolver num abraço, abraço quentinho de amor. Beijo com gosto de sorvete de côco, o balanço das árvores, você em mim... No barzinho ao lado alguém cantava “chega de saudade” ao som de um violão. Senti seu toque firme em minhas mãos, senti saudades. Ah como eu te amei menino! Enxuguei uma lágrima que veio molhar meu rosto e sentei ali pra esperar o sol se pôr. E veio mais uma noite triste sem você. Estrelas iluminando a alegria de alguém e a lua diferente, aquele coelhinho que um dia a gente pintou lá dentro, eu já não via mais.

(Karla Thayse Mendes - 22/08/10) 


“Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai”


[Vinícios e Tom Jobim]

11 comentários:

  1. Coisa mais lindaaaaa karlinha!

    Até me calo!

    Um beijoooooooo, menina flor!!!

    ResponderExcluir
  2. Lindo demais isso , Karlinha !!!

    BjO e Sorrisos , sempre Alegre em te ver ...

    ResponderExcluir
  3. Karla, teu blog é de uma suavidade ímpar.
    Tudo aqui inspira leveza.
    Gosto muito de ler seus textos e estou sempre por aqui xeretando..rs
    Como bem disse a Sil, você é um doce, uma menina flor.
    Grande beijo
    PS. Obrigada pelo carinho ;)

    ResponderExcluir
  4. Ah, que lindo, menina. Muito belo mesmo.

    Sempre flores por aqui...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Lindo texto!
    Ah, o amor. Quão bem nos faz. Quantos sorrisos nos traz... Por que tem que ter um fim? Por que tanta companhia deve acabar em solidão?
    Sempre adoro o que escreves...

    ResponderExcluir
  6. Aprendi a conviver com as lágrimas. Elas simplesmente aparecem.

    ResponderExcluir
  7. “O sol iluminava saudoso...” uma expressão maravilhosa, porque certamente a saudade não pertence ao sol... A distância da descrição indica claramente que se está chegando a um lugar revisitado, e nossa imaginação se pergunta quantas vezes essa volta se deu... Maravilhosa a introdução de Vinícius e Jobim, como um quadro na parede ao lado. Maravilhoso esperar-se para que o sol saudoso se ponha, e se ver que o sol saudoso se pôs mas a saudade ficou... Pura poesia! A noite exterior veio completar a interior, e trouxe estrelas e lua... Serão saudosas?! Certamente sim, pois é uma lua pintada de sonhos na forma de um coelhinho...
    Muito terno, muito meigo mesmo... Ganharia prêmios em muitos concursos... Parabéns, de coração... Você produz trechos de sonhos, e compete a cada leitor continuá-los como deseje ou como ouse...
    Sempre ouso!
    Um abraço carinhoso
    Lello

    ResponderExcluir
  8. OI....quem é esse Walloo? Lindas ilustrações.

    ResponderExcluir

"Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam pra você." [Vanessa Leonardi]