domingo, 2 de maio de 2010

Saudade do céu...


Ilustração: Irisz Agocs

Ali no quinto andar ela sentia-se tão pertinho do céu. Daquele ângulo parecia bem nitida a imagem do coelho que mora na lua e era possível tocar as estrelas com a ponta dos dedos. Sentia leveza de nuvem ali, quase flutuava... Deve ser por isso que dói tanto agora pisar no chão da terra e ver o céu de tão longe. Ah... como ela sentia saudade!

(Karla Thayse Mendes - 01/05/10)


"Sinto uma falta absurda de você.
Ficou um vazio que ninguem (pre)enche.
 E penso e repenso e trepenso em você aí,
tá tudo bem assim."

[Caio F.]

5 comentários:

  1. A verdade é que a saudade de quem se ama dói, dói muito.

    ResponderExcluir
  2. ... as saudades,
    sentimento tão bonito,
    mas que podia doer menos, né?

    Beijo, Karla!


    *

    ResponderExcluir
  3. Coincidentemente moro no quinto andar e sinto uma saudade absurda também. E fechar teu texto com Caio F. foi o que restava. Obrigada pela visita, gostei daqui também.

    Super beijo.

    ResponderExcluir
  4. Lindo e delicado, essa forma de falar da saudades.
    Beijos
    Denise

    ResponderExcluir

"Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam pra você." [Vanessa Leonardi]