domingo, 29 de março de 2009

De olhos bem fechados...

Ilustração: Irisz Agocs
Ela tinha medo de fechar os olhos. O escuro lhe causava arrepios e de olhos fechados era como se dentro dela fosse só escuridão. Numa dessas noites de insônia, veio um vagalume iluminar seu quarto. Então ela aprendeu a brilhar também... descobriu que de olhos fechados poderia ir para qualquer lugar, Terra do Nunca, Madagascar... poderia ser qualquer coisa, Fada, Estrela, Exclamação... qualquer luz... Se você fecha os olhos e só enxerga escuridão, talvez falte um pouco de luz dentro de você. Feche os olhos e deixe-se brilhar por dentro.

(Kara Thayse Mendes - 23/03/09)

domingo, 15 de março de 2009

Menina - Passarinha...

Ilustração: Irisz Agocs
Foi quando ela olhou para o alto e viu o Sabiá que passou por ali e sorriu. Naquele dia então, ela aprendeu a liberdade. Cerrou as grades da janela, fechou os olhos e voou. Ela sempre soube que tinha asas, só lhe faltava coragem para voar. Aprendeu a assoviar baixinho, pousou no abacateiro e fez um ninho, passarinhou o céu todinho e cantou com o Sabiá. A liberdade tinha cheiro de vento fresco...

(Karla Thayse Mendes - 12/03/2009)

sábado, 14 de março de 2009

Pescando estrelas...

Ilustração: Irisz Agocs
Então, ela segurou firme o anzol e jogou-o para cima com uma força tão delicada, que a gravidade até perdeu os sentidos. Pescou a Estrela mais iluminada e quando jogou o anzol outra vez, pescou as Três Marias. Depois de um tempo tentando, puxou o Cruzeiro do Sul todinho. E noite adentro foi pescando estrelas no céu. Guardou-as na mochila, e toda vez que sentia escuridão, abria um cantinho do zíper e deixava-se iluminar com o brilho de uma estrela. Depois de um tempo, as estrelinhas foram ficando tristes e apagando... Ela entendeu que lugar de estrela era mesmo no céu. Sem pensar, abriu a mochila e soltou uma a uma, que foram saltitando até o infinito azul. Felizes, brilharam como nunca. Agora ela sabia que quando precisasse de luz, era só olhar para o céu. Desde então, todas as noites ela tropeça, sempre de cabeça erguida, nunca deixa de olhar para as estrelas.

(Karla Thayse Mendes - 08/03/2009)

segunda-feira, 9 de março de 2009

Moço do pandeiro...

Toca esse pandeiro, toca seu moço.
Toca também meu coração
Porque quando bate no pandeiro
faz sambar minha razão.
Entro na roda de samba
só pra ouvir você tocar.
E minha saia toda balança
no gingado do meu pulsar.
" Não deixe o samba morrer,
não deixe o samba acabar "
Me perco com o pé no samba
E me encontro no seu olhar.

(Karla Thayse Mendes - 09/03/09)