domingo, 6 de setembro de 2009

Sorri pelo leite derramado...

Ilustração: Dudadase
O Sol beijou a janela e então ela acordou de um sonho bom. Se lhe perguntassem não saberia dizer o que sonhara, mas deve ter sido coisa boa porque tinha ainda um gosto de sorriso na boca. Espreguiçou esperança e levantou com os pés descalços. Apesar de ter crescido a ouvir sua mãe lhe dizer “ Menina, cadê as sandálias? Isso faz mal! ” ela gostava de sentir o toque gelado do piso nos pés. Pegou uma panelinha amassada no armário bagunçado e colocou o leite pra ferver. Enquanto isso, encostou-se no batente da varanda e ficou ali a olhar o céu e como as nuvens se mexiam dançando. Foi quando sentiu um cheiro familiar vindo da cozinha. O leite havia derramado (o que, vale ressaltar, não era raro em suas manhãs), correu até lá. Naquele dia ela não berrou nem xingou como de costume, apenas deixou escapar um sorriso engraçado. Não tinha lugar pra coisinhas cinzas naquele coração que despertara todo colorido. E afinal, o que é um leite derramado perto de um coração que vive transbordando amor todos os dias? Colocou o pouco leite que sobrou na caneca azul e tomou-o ainda quentinho.

(Karla Thayse Mendes - 26/08/09)

8 comentários:

  1. "E afinal, o que é um leite derramado perto de um coração que vive transbordando amor todos os dias?"
    Q ue delicia é tudo um suspiro a vida é fulgaz!!!o que conta é sorrir!!!

    ResponderExcluir
  2. Encantei-me com o título!
    Não sabia de ninguém
    que houvesse sorrido
    pelo leite derramado... : )

    Seu blog é muito bonito!
    Passearei um pouco mais por aqui.

    E adoraria se visitasse
    minha confeitaria:
    http://docedelira.blogspot.com/

    Um beijão.

    ResponderExcluir
  3. E acordar assim deve ser tão bom.
    Aqui eu senti cheiro fresco de pão matinal com gosto de café fresco na boca.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. sorri deliciosamente ao ler esse texto. simplesmente doce :)
    LINDO!
    Deixo beijo ;*

    ResponderExcluir

"Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam pra você." [Vanessa Leonardi]