quinta-feira, 11 de junho de 2009

Depois de passar pela ponte...

Imagem: Dudadase
E quando chegou do outro lado ela sorriu. Aquele rio tinha as águas mais puras que já vira e o passarinho que descansava voou baixinho cantarolando felicidade. Então ela bebeu daquela água e foi matando sua sede de amor, depois fechou os olhos e mergulhou a fundo, queria sentir tão logo o toque macio das águas no seu corpo e desvendar os mistérios daquele coração molhado. E lá no fundo, ela sentou no colo da areia e escreveu seu nome com a ponta do dedo, pra todo mundo saber que ela mergulhou ali por inteira, de corpo, alma e coração. E mesmo que o rio vá correndo pra o mar ou suas águas mudem com a próxima chuva, seu nome, seu toque e seus carinhos sempre estarão lá.


(Karla Thayse Mendes - 10/06/09 -♥)

6 comentários:

  1. Olá !

    Lindas e ternas palavras. Que delicadas essas figuras pra ilustrar os textos, fico olhando sem cansar.

    beijos e um lindo domingo.
    Chris

    ResponderExcluir
  2. Todos nós temos que beber dessa água, não?
    Mas não é qualquer lugar que consegue matar essa sede. Tem que ser um rio infinito, como esse do texto.

    Lindo, lindo!
    Um beeijo!

    ResponderExcluir
  3. Oii.. seu blog eh lindo ^^

    passei por aki =]
    =**

    ResponderExcluir
  4. Que lindo Karla!
    Agradeço a oportunidade de estar aqui conhecendo o seu espaço!

    Obrigada pela visita e palavras deixadas!

    Um beijo repleto de meu carinho

    ResponderExcluir
  5. A caminhada pode ser longa e sinuosa, ainda mais por se trata de uma ponte insegura, cujas bases hoje ja foram reformadas e garante que essa trilha seja a mais segura, aposto na caminhada, vale mais a pena mover-se do que permanecer-se estatico tendo um universo de felicidades a buscar, um rio de alegria espera-te e quem sabe essa trilha, agora em direção ao mar, torne-se mais certa do que as passadas. Um lindo bju...

    ResponderExcluir

"Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam pra você." [Vanessa Leonardi]