sábado, 14 de março de 2009

Pescando estrelas...

Ilustração: Irisz Agocs
Então, ela segurou firme o anzol e jogou-o para cima com uma força tão delicada, que a gravidade até perdeu os sentidos. Pescou a Estrela mais iluminada e quando jogou o anzol outra vez, pescou as Três Marias. Depois de um tempo tentando, puxou o Cruzeiro do Sul todinho. E noite adentro foi pescando estrelas no céu. Guardou-as na mochila, e toda vez que sentia escuridão, abria um cantinho do zíper e deixava-se iluminar com o brilho de uma estrela. Depois de um tempo, as estrelinhas foram ficando tristes e apagando... Ela entendeu que lugar de estrela era mesmo no céu. Sem pensar, abriu a mochila e soltou uma a uma, que foram saltitando até o infinito azul. Felizes, brilharam como nunca. Agora ela sabia que quando precisasse de luz, era só olhar para o céu. Desde então, todas as noites ela tropeça, sempre de cabeça erguida, nunca deixa de olhar para as estrelas.

(Karla Thayse Mendes - 08/03/2009)

Um comentário:

  1. Ai que honra!!

    É isso que ando fazendo, correndo através de um campo, olhando para as estrelas, caindo sem querer. A minha vontade é alcançar todas as estrelas. Mas eu sei que meu desejo de beleza é tão grande que tê-las não me basta. É preciso olhar para o céu, e ver o quão grande é o infinito é. Porque é disso que eu preciso. Do infinito.

    Desculpa a demora, tô toda enrolada!!
    No próx. post coloco o selinho, muuito obrigada!

    Um beijo, querida!

    ResponderExcluir

"Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam pra você." [Vanessa Leonardi]