segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Travessuras de uma Andorinha...

Ilustração: Irisz Agocs
Andorinha voou devagarinho pelo céu azul sem fim. Pegou carona no sopro de um vento e rodopiou no horizonte enquanto o sol sorria raios de luz ao seu redor. Pequenina travessa trocou pedacinhos de nuvens de lugar e fez desenhos de algodão no céu. Contou a uma nuvem uma história triste e ela chorou pinguinhos de chuva no sertão. Nas armas dos homens ela plantou sementes e atiraram-se flores nas guerras. Pousou no ombro do menino que chorava, cantarolou uma canção baixinho e ele sorriu esperança. Voou bem alto, fez cosquinhas na estrela mais bonita e ela gargalhou um feixe de luz iluminando o céu todinho. Perto dali, a Lua enciumada ficou minguante, tristinha, parou de brilhar. Andorinha sorridente voou até lá, tocou o coração da Lua com a pontinha da asa, então ela cresceu no céu, fez-se cheia e brilhou tão alto que o Mundo nunca mais "ouviu escuridão". Passarinho pequenino faz carinho no Mundo, muda tudo de lugar, e o Mundo gigante fica quietinho pra ver o encanto da pequena que voa devagarinho, valsando pelo céu e nunca para de cantar.

(Karla Thayse Mendes - 21/12/07)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Soltava sorrisos ao vento e ouvia: Uma hora eles voltam pra você." [Vanessa Leonardi]