domingo, 6 de dezembro de 2009

Estrelas de mentira...

Então ele já não via mais aquela estrela com o brilho de outrora. Poderia ser apenas uma nuvem passageira, dessas que ofuscam a claridade do céu, ou talvez a estrela nunca tivesse passado de uma doce ilusão do menino que já não suportava mais viver no escuro. Nossos olhos tem o poder de pintar estrelas de mentira, cabe ao nosso coração decidir se deixa-se ou não enganar.

(Karla Thayse Mendes - 05/12/09)


Eu já sentia...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Em matéria de amizade...

Ilustração: Sofia Monteiro
E depois de passar pela História da Enfermagem, aprendi que os Fundamentos que regem a felicidade são permeados do carinho que se tem e pode-se doar em cada segundo de uma verdadeira amizade. Bioestatisticamente falando, não há dados nem medidas reais capazes de determinar com exatidão o bem que vem de vocês até mim. Vocês fazem mais bonita a Fisiologia do meu coração e multiplicam minha liberação de endorfinas a cada sorriso. Se um dia eu for acometida por qualquer tipo de tristeza ou Patologia, sei que posso contar com o princípio ativo do carinho de vocês. E se porventura, algum dia, qualquer um de vocês sofrer uma parada cárdio-respiratória de coragem, estarei aqui para reanimar Emergencialmente. Que o encaixe perfeito da Anatomia das nossas mãos não se desfaça ao longo dos caminhos impostos pela vida e que o tempo não reduza algo tão especial a meras lembranças de tempos de faculdade.

(Karla Thayse Mendes - 25/11/09 - Aos meus colegas amigos, com meu carinho.)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Céu de nós dois...

Vamos combinar assim:
Eu te dou minha estrela...

E você me dá a sua...


Ilustrações: Alê Abreu
Então a gente faz um céu só de nós dois,
todinho estrelado.
(Karla Thayse Mendes - 30/08/09)

domingo, 18 de outubro de 2009

Melhor do que antes...

Ilustração: Jana Magalhães
Porque nos últimos dias meu sorriso passa mais tempo deitado no meu rosto do que antes, ele chega, tira os sapatos, esquece das horas e se esparrama aqui... Meus olhos brilham mais do que antes, estrelinhas que estavam escondidas lá no fundo abriram minhas cortinas castanhas pra te ver... e brilham carinho. Meu coração canta mais bonito agora, canção de amor baixinho, afinadinho, no ritmo de nós dois. O sol brilha mais do que antes e aquece esse querer que cresce... e cresce... e cresce. Tudo melhor do que antes. Porque agora tem uma mão abraçando a minha, tem um sorriso sentado num rosto bonito esperando pelo meu, dois olhinhos que refletem o brilho que vem das minhas estrelas e um coração que canta junto. Bem melhor agora... melhor e muito mais feliz.

(Karla Thayse Mendes - 09/08/09 -♥)
"Então que seja doce..."

[Caio F.]

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Alegria dobrada...

Dobrei a Alegria em cinco partes pra caber no coração.
Cresceu tanto nos últimos dias que mal cabia...
Agora tem espaço de montão.
Alegria sempre cabe mais,
tristeza não cabe não.

(Karla Thayse Mendes- 28/08/09)

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O prato do dia...

Ilustração: Hervé Thibaut
No restaurante...

- Garçom, por favor, me vê o de sempre!

- Desculpe senhor, mas Amariscada está em falta.

- Ahh...

- Mas eu lhe recomendo o pratodo dia: Catado de Solidão.

- Tá, vai esse mesmo.

No dia seguinte... indigestão.

(Karla Thayse Mendes - 28/09/07)

sábado, 26 de setembro de 2009

No fundo daqueles olhos...

Ilustração: Irisz Agocs
- E se eu cair no teu olhar você me apara?

Ele fez que sim com a cabeça

e ela se jogou.

(Karla Thayse Mendes - 28/08/09)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Dia de faxina...

Dia chuvoso, acordei bem cedo e como de costume fui até o quartinho de Bia apreciar seu sono. Tal foi minha surpresa quando deparei-me com a cama vazia e a cobertinha no chão. Então ouvi um barulho vindo do quintal, fui até lá. Ela estava andando apressada com um balde, uma vassoura e um pano nas mãos.

Curiosa perguntei:

- Biazinha, pra onde você vai com todas essas coisas?

E dentro de um sorriso lindo ela me respondeu:

- Vou ajudar Deus a lavar a terra vovó, pra ele num cansar. É muito grande e tem um bocadão de sujeira... sozinho ele cansa.

Então eu peguei outra vassoura e fui ajudar também.

(Karla Thayse Mendes - 27/08/09)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Juramento...


Dentro de um soluço ela disse:
- Jura que nunca vai se perder de mim?
Ele segurou firme sua mão,
olhou bem dentro dos seus olhinhos cheios d´agua
e sussurrou dentro de um sorriso de luz:
-Sim, eu juro.

(Karla Thayse Mendes - 11/09/09 - ♥)

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pé na estrada...

Ilustração? Rachelle Anne Miller
É certo que as estradas são perigosas e a gente nunca sabe o que vem de lá. Mas cansara de ser sempre tão cautelosa e racional. Então tirou cinto de segurança que prendia seu coração e foi... Numa velocidade boa, nem tão devagar como antes, nem tão depressa, porque queria apreciar os segredos do caminho. Saiu ultrapassando todos os medos e saltando lombadas de incertezas. Sem saber pra onde nem quando chegar, só queria sentir o abraço do vento, sentir o gostinho doce de viver sem hora marcada pra chegar.

(Karla Thayse Mendes - 26/08/09)

domingo, 13 de setembro de 2009

A menina quando chove...

Ilustração: Ana Oliveira
O dia acordou pintado de cinza
que nem a cor da emoção da menina.
Nuvem chora fininho e baixinho
que nem o choro da alma da menina.
Ela era toda inverno naquele dia,
coração friozinho...
Certas chuvinhas doem mais que grandes tempestades,
porque caem machucando devagar
e demoram a dar lugar ao sol.

(Karla Thayse Mendes - 27/08/09)

domingo, 6 de setembro de 2009

Sorri pelo leite derramado...

Ilustração: Dudadase
O Sol beijou a janela e então ela acordou de um sonho bom. Se lhe perguntassem não saberia dizer o que sonhara, mas deve ter sido coisa boa porque tinha ainda um gosto de sorriso na boca. Espreguiçou esperança e levantou com os pés descalços. Apesar de ter crescido a ouvir sua mãe lhe dizer “ Menina, cadê as sandálias? Isso faz mal! ” ela gostava de sentir o toque gelado do piso nos pés. Pegou uma panelinha amassada no armário bagunçado e colocou o leite pra ferver. Enquanto isso, encostou-se no batente da varanda e ficou ali a olhar o céu e como as nuvens se mexiam dançando. Foi quando sentiu um cheiro familiar vindo da cozinha. O leite havia derramado (o que, vale ressaltar, não era raro em suas manhãs), correu até lá. Naquele dia ela não berrou nem xingou como de costume, apenas deixou escapar um sorriso engraçado. Não tinha lugar pra coisinhas cinzas naquele coração que despertara todo colorido. E afinal, o que é um leite derramado perto de um coração que vive transbordando amor todos os dias? Colocou o pouco leite que sobrou na caneca azul e tomou-o ainda quentinho.

(Karla Thayse Mendes - 26/08/09)

domingo, 30 de agosto de 2009

Em suas águas...




Tem enchente de você alastrada em mim.
Dentro os meus pensamentos, molhando minha emoção,
derrubando minhas paredes, inundando minha razão.
Fecho os olhos e mergulho em suas águas,
lá no fundo te tocar...
Dispenso botes, remos e bóias.
Quero mais é me afogar.

(Karla Thayse Mendes- 28/08/09- ♥)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Das malcriações..

Ilustração: Audrey Kawasaki
Meu sorriso malcriado,
há três dias trancado no quarto,
disse que só sai de lá
quando você voltar.

(Karla Thayse Mendes - 28/08/09-♥)

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Momento de cristal...

Ilustração: Verônica Navarro
Ela chorou baixinho por dentro, pra não acordar as lágrimas que ali dormiam. Mas uma que despertou, escorregou pelo seu rosto até encostar na mão dele, que a acariciava. Passeou ali por entre as linhas, parou pra descansar na linha da vida e continuou andando até secar na linha do destino. Ele não perguntou nada, apenas fechou os olhos e sentiu. Se falassem alguma coisa ou se respirassem um pouco mais alto poderiam quebrar aquele momento. Então ficaram ali, quietinhos... assim, por horas, em silêncio. Um morando nos braços do outro, um por dentro da vida do outro.

(Karla Thayse Mendes - 26/08/09 -♥)

sábado, 22 de agosto de 2009

Quando a Felicidade bate na porta...

Ilustração: Rachelle Anne Miller
Felicidade veio me visitar um dia desses. Bateu na porta, Coração saudoso recebeu-a com um abraço acolhedor, há tempos não a via. Sentou-se no sofá da sala de estar, aceitou um chá de erva doce e conversamos por horas a fio... conversa vai, conversa vem, ela resolveu ficar por uns tempos e eu achei ótimo. Perguntou-me se poderia arrumar a casa, mudar umas coisas de lugar, eu concordei. Então ela pintou as paredes de azul, pendurou um sorriso na parede do meu quarto, limpou a poeira que estava escondida debaixo do tapete, colocou um vasinho de flor na mesinha de cabeceira e abriu todas as janelas. Agradeci com meu beijo mais admirado. Me fez tão bem... Vou dar a ela o meu melhor para que fique aqui comigo por um bom tempo.

(Karla Thayse Mendes - 09/08/09-♥)

domingo, 16 de agosto de 2009

Triste plantação...

Ilustração: Jana Magalhães
Ele chorou,
uma pequena lágrima caiu no colo da Terra fértil.
Nasceu então, um pé de tristeza ali.
Tristeza também se planta,
cabe à ele agora arrancá-la pela raiz
com as mãos do coração.

(Karla Thayse Mendes - 02/08/09)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Estrela do meu céu...

Estrelas não brilham no céu por acaso e nem estão organizadas aleatoriamente. Cada uma brilha no lugar certo e com a intensidade que lhe cabe. E não há maior paz do que aquela que vem do céu e consegue tocar nossa alma com a ponta dos dedos. Se meu céu brilha mais bonito é porque estás lá no lugar certo e a imensidão clareia quando sorris. Nem a Lua é capaz e ofuscar o brilho que vem de ti. E mesmo quando longe ou até quando uma nuvenzinha egoísta insiste em te esconder de mim, eu sei que estás lá, sei que ainda brilhas a iluminar o meu caminho. Envolves-me com teu abraço de estrela, luz em mim,por todo o sempre,por onde eu for.

(Karla Thayse Mendes – 05/08/09 - Para minha amiga-irmã-estrela, com minhas saudades)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

De Coração lavado...

Então ela deixou o coração de molho por três dias. Depois disso ela o lavou bem com água e sabão em pó pra tirar todas as manchas. Esfregou, esfregou... até ferir as mãozinhas. Foi quando percebeu que algumas manchas não saem nunca mais. Torceu com cuidado pra não machucar os sentimentos bons e pendurou-o no varal por um pregador. O sol se encarrega de secar os corações molhados. Depois disso ela poderia colocá-lo de volta dentro do peito.

(Karla Thayse Mendes - 27/07/09)

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Tudo o que eu tenho pra te dar...

Ilustração: Dudadase
Quero te dar chuva de flores pela manhã. E quando quiseres podes vir colher sorrisos direto do quintal da minha alma. Nunca há de te faltar afeto. E se murchar tua alegria, podes vir buscar uma muda no meu jardim para que a tua floresça outra vez. Se te faltar o vento, eu te sopro carinho. E se te faltarem as cores do dia, a gente pinta tudinho com tons de felicidade. Lá do alto, não te deixarei olhar para baixo e mesmo que escorregues de uma nuvem molhada, eu não te soltarei a mão, não te deixarei cair. Amizade é isso, teto firme no temporal, água para a sede no deserto, riso pra enxugar a lágrima que cai.

(Karla Thayse Mendes – 05/08/09 - Para minha pequena maluquinha, com carinho)

sábado, 25 de julho de 2009

Só você me basta...

Ilustração: Rachelle Anne Miller
Eu só preciso dos teus olhinhos de luz a me acariciar todas as manhãs, só preciso do teu abraço a me completar. Minha felicidade não exige muito, ela só espera teu sorriso pra alcançar o céu, ela só quer andar por aí de mãos dadas com teu beijo mais bonito. E quando o futuro chegar nas asas de um pássaro, a gente constrói uma casinha de frente pra o mar, cria um cachorro, planta uma horta no quintal e semeia beijos de todas as cores no jardim. Ao cair da noite a gente deita na rede dentro de um abraço, a olhar as estrelas. E de manhã cedinho a gente senta na areia pra ver o sol nascer. E ele nasce sorrindo... O sol brilha mais bonito pra quem ama.

(Karla Thayse Mendes - 01/07/09 - ♥ )

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Saga de um coração...

Coração tropeçou mais uma vez...
Isso acontecia sempre
desde que desamarraram os cadarços do seu tênis.
Ele até tentou, mas não conseguiu amarrá-los,
era complicado demais, todos aqueles nós e laçarotes.
Caía logo depois de arriscar alguns passos,
não andava pra muito longe
e não conseguia chegar a lugar algum.
Por diversas vezes arranhara os joelhos
e nas horas de desânimo sentava e chorava.
Já chegou até a pensar em desistir de caminhar,
pensou em morar pra sempre em um cantinho qualquer desse mundo.
Mas não o fez,
não é do tipo de coração que consegue viver parado e sozinho.
E mesmo depois de tantas quedas e tropeços,
continuou a caminhada...
No meio do caminho encontrou um Coração
que lhe deu a mão e lhe ensinou a voar.
Então jogou fora o par de tênis, não precisaria mais deles.
Nunca mais caiu, nunca mais chorou...
E se um dia lhe tirarem as asas ele vai sofrer outra vez,
mas ainda assim vai continuar seguindo,
seja descalço pelo chão,
seja pelo ar, pelo mar,
ou por dentro de sonhos.
Ele vai encontrar um jeito...
ele sempre encontra.

(Karla Thayse Mendes - 29/07/09-♥)

Som e luz...

Ilustração: Dudadase

E quando sorris saem estrelas dançantes do teu riso,
Espalhas estrelas por aí fazendo o mundo mais luz
e meu céu lindo de se ver.
Só os que já te abraçaram sabem como é bom um abraço de estrela.

E quando exalas amor teu coração bate cantando,
e eu fico debruçada na janela da frente a escutar,
Só os que já dançaram ao som das batidas de um coração
entendem quando eu falo de amor.

Que essa luz e esse som me sigam até o final da estradinha de chão ao longe.
Que me sigam até o fim...
Porque sem tua luz eu não consigo enxergar os caminhos
e é o som do teu coração que me leva.

(Karla Thayse Mendes - 24/07/09 - Para minha irmãzinha, a outra metade minha)

terça-feira, 21 de julho de 2009

O novo morador...

Chegou assim, fora da lei.
Nem tinha a chave do meu coração
e entrou arrombando a porta da frente com um ponta-pé.
Agora, se alojou aqui dentro de mala e cuia
e eu nem tava a procura de um inquilino.
Tudo bem,
só espero que não seja alérgico à poeira e ...
vai desculpando a bagunça aí,
é que há muitos anos não recebo visitas.
Fique à vontade viu!
Tem amor guardado num vasinho plástico dentro da geladeira
e um pote de carinho no armário da cozinha, caso sinta fome.
Pode ficar o tempo que quiser,
dez, vinte, trinta anos ou ... pra sempre.
Seja bem vindo!

(Karla Thayse Mendes - 14/07/09 - ♥)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Viver...

O Sol me acordou cedo com um beijo na testa, abri os braços pra abraçar o dia e levantei. - Bom dia espelho, você está cada dia mais bonito! Tirei os meus problemas da tomada, desliguei de tudo o que me faz mal. Hoje eu quero distribuir meus melhores sorrisos, quero sair por aí sem saber as horas nem quantos graus na escala Celsius. Sentir o carinho do Vento no rosto, sentar na areia e ouvir o canto do Mar. Viver é mesmo uma dádiva!

(Karla Thayse Mendes - 12/07/09)

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Os olhos do Céu...

Ilustração: Irisz Agocs

Então eu olhei pra cima,
olhei bem dentro dos olhos do Céu
e senti uma paz tão grande.
Aqueles olhos azuis me disseram
que nenhuma dor pode ser maior que os nossos sonhos.
Enxuguei as lágrimas,
respirei fundo e segui em frente.

(Karla Thayse Mendes - 09/07/09)

domingo, 5 de julho de 2009

O Pote de ouro...

Ilustração: Adolie Day
Foi a pé atrás do arco-íris,

mergulhou nos sete mares pra encontrar,

percorreu milhas e milhas a procurar

e mal sabia que o maior pote de ouro estava dentro dela.

(Karla Thayse Mendes - 01/07/2009)

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Esse Menino...

Esses olhos que iluminam minhas noites com um brilho de Lua cheia e de manhã trazem a luz do Sol pra clarear meus dias. E quando eu entro nesse abraço sinto a paz que passeia no sono de Flor que adormece.
Esse sorriso de Estrela cadente que vem rasgando meu céu só me faz fechar os olhos e desejar muito mais, mais do seu sorriso, mais do seu querer. Meus horizontes são seus rumos, meus caminhos sua direção.
E quando eu olho pra dentro de mim vejo que já tem tanto de você... Suas asas voam pelo céu do meu coração e seus passos caminham no chão do meu querer. Esse encantamento que nasceu em mim, engatinhou paixão e hoje arrisca os primeiros passinhos de amor.
Vem morar na minha alegria meu bem, traz carinho e coração na mochila. A gente monta uma barraquinha firme e fica olhando o Sol nascer. E se acaso a Chuva cair, a gente se protege com um abraço.

(Karla Thayse Mendes - 11/06/09 - ♥)

Depois de passar pela ponte...

Imagem: Dudadase
E quando chegou do outro lado ela sorriu. Aquele rio tinha as águas mais puras que já vira e o passarinho que descansava voou baixinho cantarolando felicidade. Então ela bebeu daquela água e foi matando sua sede de amor, depois fechou os olhos e mergulhou a fundo, queria sentir tão logo o toque macio das águas no seu corpo e desvendar os mistérios daquele coração molhado. E lá no fundo, ela sentou no colo da areia e escreveu seu nome com a ponta do dedo, pra todo mundo saber que ela mergulhou ali por inteira, de corpo, alma e coração. E mesmo que o rio vá correndo pra o mar ou suas águas mudem com a próxima chuva, seu nome, seu toque e seus carinhos sempre estarão lá.


(Karla Thayse Mendes - 10/06/09 -♥)

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Dentro dela tem...

Ilustração: Amélie
Dentro dela tem nascente de rio que corre pra o mar de sonhos.

Dentro dela o sol do céu mais bonito e um vasinho de flor pra enfeitar a janela da alma dela.

No cantinho do coração dela tem magia e uma varinha de condão com uma estrela na ponta.

Dentro do sorriso dela, borboletas dançam um bolero e dentro do abraço dela tem leveza de nuvem quando sorri.

Amor e luz dentro dela.


(Karla Thayse Mendes - 27/05/09 - Para uma amiga luz)

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dos afagos de um Livro...

Ilustração: Irisz Agocs
Numa dessas noites ela resolveu viajar na leitura pra esperar o sono chegar. Foi até a estante e pegou um daqueles livros, deitou-se e começou a ler. Achou que seria apenas mais um daqueles que outrora lera e já nem lembra mais, ou daqueles outros monótonos, dos quais desistira na metade da história. E não foi... Já nas primeiras linhas percebeu que era um Livro especial e continuou a leitura. Deixou-se envolver pela história de tal forma que quando percebeu não conseguia mais parar de ler. E toda noite ela lê um pouco mais e descobre um carinho diferente em palavras. De manhã ela guarda-o na mesinha de cabeceira e passa o dia todo ansiosa pra recomeçar a leitura. Porque tem livros que fazem a gente se sentir melhor, tem histórias que fazem nosso coração bater exclamações. E quando a gente encontra um Livro assim na nossa estante, a gente abraça cada frase, a gente mergulha em cada capítulo, e ao chegar no final da história, a gente começa a ler outra vez sem achar nada repetitivo, porque a cada leitura a gente descobre um afago novo.

(Karla Thayse Mendes - 16/05/09 - ♥)

sábado, 9 de maio de 2009

Do outro lado da ponte...


Ilustração: Irisz Agocs
E continuou andando... Quando ficava cansada sentava numa pedra pra descansar. Algumas vezes tropeçou no caminho, outras caiu, mas conseguiu levantar e seguiu. Caminhava pra lugar algum e sem saber a direção. Durante o dia seguia qualquer borboleta e de noite deixava-se guiar pela luz da Lua. Foi quando avistou uma ponte ali bem em frente, dessas feitas com corda e pedaços de madeira. Colocou a pontinha do pé direito e sentiu balançar. Teve medo... Olhou pra baixo e viu um monte de pedras, pensou em voltar mas olhou em frente. Do outro lado tinha um pássaro e um rio de águas calmas. Num impulso, respirou fundo, fechou os olhos e foi...

(Karla Thayse Mendes - 09/05/09 - ♥)

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Moça bonita...

Ilustração: Dudadase
Banhou-se nas águas da chuva, enxugou-se no sopro do vento e vestiu um pedaço de nuvem. Perfumou-se com a essência de um jasmim, calçou um trevo de quarto folhas em cada pé e fez um laço com um raio de sol pra enfeitar os cabelos. Passeou por aí fazendo o mundo sorrir ... passarinho a olhar quis logo se apaixonar, pousou e assoviou uma linda canção de amor. Moça bonita dançou e o céu parou pra olhar.

(Karla Thayse Mendes - 23/04/09)

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Abraço de algodão...

Ilustração: Irisz Agocs
Um dia desses ela engoliu um cacto e chorou espinhos , um choro verde e seco. Triste e só, ninguém queria abraça-la, ninguém queria tocá-la. Seu abraço feria, seu toque machucava. E quando ela engoliu um maço de algodão , sorriu tufinhos brancos, um riso macio e fofo. Abraçou o mundo todo, um abraço desses largos de algodão, desses que dá vontade de fechar os olhos e dormir abraçadinho. E o mundo todo coube ali, dentro dos seus braços, pertinho do seu coração.

(Karla Thayse Mendes - 20/04/09)

domingo, 12 de abril de 2009

A música que há em nós...

Ilustração: Dudadase
Porque a música está em todas as coisas... no balanço das ondas do mar, no canto de um sabiá. Canta de manhã cedinho o sopro do vento, fazendo a roseira dançar. Tem música na gargalhada do menino e na buzina do carrinho de picolé. A chuva canta caindo e canta chorando ou sorrindo o coração de mulher. A nota que me toca é você e eu me encho de rimas e melodias todos os dias ao te ver. Porque quando me beija, ouço tudo em maior e quando me deixa canto Mi Fá Só... Tem de mim benzinho, tem . Canta comigo que eu canto contigo numa cantiga . E quando a música terminar, que os corações cantem por nós... que meu tum-tum e o seu tum-tum formem juntos uma só voz.

(Karla Thayse Mendes - 09/04/09)

domingo, 29 de março de 2009

De olhos bem fechados...

Ilustração: Irisz Agocs
Ela tinha medo de fechar os olhos. O escuro lhe causava arrepios e de olhos fechados era como se dentro dela fosse só escuridão. Numa dessas noites de insônia, veio um vagalume iluminar seu quarto. Então ela aprendeu a brilhar também... descobriu que de olhos fechados poderia ir para qualquer lugar, Terra do Nunca, Madagascar... poderia ser qualquer coisa, Fada, Estrela, Exclamação... qualquer luz... Se você fecha os olhos e só enxerga escuridão, talvez falte um pouco de luz dentro de você. Feche os olhos e deixe-se brilhar por dentro.

(Kara Thayse Mendes - 23/03/09)

domingo, 15 de março de 2009

Menina - Passarinha...

Ilustração: Irisz Agocs
Foi quando ela olhou para o alto e viu o Sabiá que passou por ali e sorriu. Naquele dia então, ela aprendeu a liberdade. Cerrou as grades da janela, fechou os olhos e voou. Ela sempre soube que tinha asas, só lhe faltava coragem para voar. Aprendeu a assoviar baixinho, pousou no abacateiro e fez um ninho, passarinhou o céu todinho e cantou com o Sabiá. A liberdade tinha cheiro de vento fresco...

(Karla Thayse Mendes - 12/03/2009)

sábado, 14 de março de 2009

Pescando estrelas...

Ilustração: Irisz Agocs
Então, ela segurou firme o anzol e jogou-o para cima com uma força tão delicada, que a gravidade até perdeu os sentidos. Pescou a Estrela mais iluminada e quando jogou o anzol outra vez, pescou as Três Marias. Depois de um tempo tentando, puxou o Cruzeiro do Sul todinho. E noite adentro foi pescando estrelas no céu. Guardou-as na mochila, e toda vez que sentia escuridão, abria um cantinho do zíper e deixava-se iluminar com o brilho de uma estrela. Depois de um tempo, as estrelinhas foram ficando tristes e apagando... Ela entendeu que lugar de estrela era mesmo no céu. Sem pensar, abriu a mochila e soltou uma a uma, que foram saltitando até o infinito azul. Felizes, brilharam como nunca. Agora ela sabia que quando precisasse de luz, era só olhar para o céu. Desde então, todas as noites ela tropeça, sempre de cabeça erguida, nunca deixa de olhar para as estrelas.

(Karla Thayse Mendes - 08/03/2009)

segunda-feira, 9 de março de 2009

Moço do pandeiro...

Toca esse pandeiro, toca seu moço.
Toca também meu coração
Porque quando bate no pandeiro
faz sambar minha razão.
Entro na roda de samba
só pra ouvir você tocar.
E minha saia toda balança
no gingado do meu pulsar.
" Não deixe o samba morrer,
não deixe o samba acabar "
Me perco com o pé no samba
E me encontro no seu olhar.

(Karla Thayse Mendes - 09/03/09)

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Moça do vestido florido...

Ilustração: Dudadase
Tu vens até mim vestida de flores. Dentro de margaridas, lírios e jasmins num vestido rodado que me cega. E teu perfume de flor invade meus segredos mais íntimos, conhecendo-me como nem eu mesmo fui capaz. Tuas raízes já estão fincadas em meus pensamentos e a dor ao toque dos teus espinhos é doce para mim. De manhã cedinho eu te rego com todo o meu amor e fico sentado na beira da cama vendo você desabrochar. De tardinha sou teu beija-flor apaixonado e te beijo em cada pétala. E quando a noite vem sou tua terra fértil, vem nascer em mim, floresce em mim bela flor.

(Karla Thayse Mendes - 12/02/09)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Conselho de botão...

Ilustração: Amélie
Mariana era uma menina mimada e egoísta que não tinha amigos. Quando sentiu falta de conversar com alguém ela aprendeu a falar com os botões da sua blusa rosa. O problema é que ela nunca ouvia o que os botões tinham a dizer. Era individualista o bastante a ponto de falar por horas a fio sem deixar os pobres botõezinhos pronunciarem uma sílaba sequer. Certo dia os pequeninos redondos cansaram de ser tratados como objetos e decidiram fugir de suas casas. A blusa rosa ficou toda desabotoada e Mariana não tinha mais com quem conversar. Assim passaram-se anos... A menina esqueceu-se do som das letras, não sabia mais como soltar palavras. Portanto, escute seus botões, valorize o que eles têm a dizer, ninguém conhece você melhor do que eles, afinal eles estão o tempo todo perto do seu coração, sentindo tudo o que se passa.

(Karla Thayse Mendes - 10/02/09)

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Conjugação verbal...

Ilustração: Audrey Kawasaki
Eu te amo,
Tu não amas a mim,
Ele ama a ela,
Nós não amamos juntos,
Vós amais outras,
Eles amam aquelas.
E enquanto meu amor puder caminhar no canteiro de rosas vermelhas, enquanto o último suspiro de esperança ainda abraçar meus pensamentos, eu sigo te amando. Te amo de olhos fechados ou abertos, te amo quando durmo ou quando levanto, te amo de azul, de rosa, de todas as cores do mundo. E mesmo que não queiras conjugar comigo o verbo amar eu o faço sozinha. Minha gramática é paciente... E se um dia meu verbo tocar em teu coração, ainda estarei aqui te esperando. Conjugaremos juntinhos quando o Sol sorrir, e quando a Lua cantar estaremos lá verbalizando o som do amor maior.
Eu te amarei
Tu me amarás
Nós amaremo-nos... pra sempre.

(Karla Thayse Mendes - 11/02/09)

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Retrato ao meio...

Ilustração: Kurt Halsey
Hoje de manhã ao abrir a gaveta do criado-mudo vi aquela caixinha vermelha de recordações guardada. Perguntei ao meu coração se deveria abri-la, mas antes que ele me respondesse minhas mãos apressadas desfizeram o laço dourado que a envolvia. E naquele momento fui abraçada por uma coragem que ainda não sei de onde surgiu...abri. Por entre cartas e postais com juras de amor eterno vi um retrato ao meio. Eu e você em lados opostos, incompletos. É assim que eu me sinto desde o dia em que você saiu por aquela porta, sinto-me ao meio, rasgada em solidão. E entre lágrimas deitei-me naquela caixinha vermelha e deixei-me envolver pelo laçarote dourado. Agora aqui estou, escondida no fundo da gaveta do criado-mudo, onde o mundo não pode me achar. Estou no escuro, entre duas metades de um retrato que um dia foram um só.

(Karla Thayse Mendes - 13/02/09)

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Uma certa Flor amarela...

Ilustração: Dudadase
Quando eu achei que meu jardim já estava todo florido, nasceu uma Florzinha amarela debaixo do pé de jambo pra me ensinar em lá maior uma cantiga bonita de amizade. E já na primeira primavera eu pude notar que ela não era apenas mais uma no meio de tantas outras Flores...era especial. Meu dia ficou mais iluminado quando ela soltou um sorriso de Flor desses bem largos que clareou tudinho, então foi-se embora o medo da escuridão. Todos os dias de manhã cedinho eu encho meu regador de carinho e rego pra cultivar, quero por muitas e muitas outras primaveras olhar pela janela que dá para o jardim e ver aquela Florzinha ali no cantinho, sorrindo e cantarolando aquela canção, fazendo meu jardim mais bonito e muito mais feliz.

(Karla Thayse Mendes - 12/02/09 - Para uma amiga-Flor)

Por dentro do espelho...

Ilustração: Irisz Agocs
Certo dia o espelho do banheiro público de uma cidade cansou de ser tratado como objeto de reflexo alheio. Cansou de refletir todo tipo de tristeza, todo tipo de falsidade, todo tipo de rancor. Ninguém enxergava-o como realmente era, cheio de brilho, com tantos mistérios, cores e formas. Ninguém conseguia olhar dentro do espelho e ver outra imagem que não fosse a sua própria. Essas reflexões fizeram do espelho um vidro quadrado de infelicidade. De tanta tristeza ele fechou os olhos e passou a olhar para dentro de sua alma, conhecendo o seu real valor. A partir desse dia, as pessoas daquela cidade não conseguiram mais ver seus reflexos no grande espelho e então passaram a enxergar umas as outras.


(Karla Thayse Mendes - 12/02/09)

Colcha de retalhos...

Ilustração: Irisz Agocs
O inverno aproximou-se e dona Cecília então começou a costurar uma colcha de retalhos. Cortou pedacinhos de panos quadrados e com agulha e linha dourada foi unindo um a um. Aqueles remendos foram crescendo de mãos dadas. O pedaço de pano listrado trouxe um pouco de colorido para a vida do pedaço de pano branco com bolinhas pretas. O quadrado estampado de flores alegrou o pedaço de pano marrom. Unidos eles perceberam que poderiam ser grandes. Antes eram só uns pedaços de panos antigos, agora unidos, agarradinhos em uma colcha quentinha. E quando o céu começou a chorar floquinhos de neve, dona Cecília deixou-se enrolar naquele abraço macio de coberta. O frio não veio visitá-la naquele inverno.

(Karla Thayse Mendes - 12/02/09)

Dos amores impossíveis...

Ilustração: Verônica Navarro
Naquele dia quente de Dezembro os olhos azuis dela encontraram de longe os olhos avermelhados dele, aqueles olhos lhe tiravam o sono e conseguiam penetrar em cada gota do seu corpo, aqueles olhos quentes aqueciam sua alma molhada e faziam despertar de dentro uma chama de amor bonito. E quando ele a avistou de longe saltaram umas faíscas de beijos tórridos, seus braços quentes se abriam em chamas longas como quem quis ser abraçado. Assim nasceu a história de amor entre a Água e o Fogo. Triste amor distante... Poucas dores se comparam à dor do coração que sofre por um amor impossível. Suas vidas foram esvaindo aos poucos por saber que não poderiam tocar-se. Mais justo seria morrer de amor do que viver um amor proibido, então decidiram se amar ainda que arriscassem as vidas. E quando a Lua veio iluminar a noite, ela deslizou sedenta, Água menina cheia de amor, tanto amor... Ele brilhava de longe incendiando de paixão. Ele a abraçou e ela lhe deu um beijo encharcado de carinho. Aquele pequeno momento foi o mais grandioso de suas vidas. O Fogo foi se apagando aos poucos, virou cinzas... morreu. Viver tinha valido à pena. Ouviu-se ao longe o canto triste de uma cigarra inconformada, e a lua brilhou mais devagar. Água menina chorou lágrimas de dor até formar um oceano profundo, mergulhou até o fundo afogou-se na sua tristeza. O amor tem dessas surrealidades: ama-se para viver e morre-se de amor. Amemos...

(Karla Thayse Mendes - 12/02/09)

Umas tranças...

Ilustração: Dudadase
E naquela tarde florida de primavera meus olhos renderam-se a duas tranças douradas que saltitavam pelo jardim. Aquela menina trançou-me em seus cabelos e amarrou-me com dois laços de fita rosa nas pontas. O cheiro daqueles fiozinhos loiros afagou os meus sentidos de tal forma que eu só via, respirava, sentia e tocava aquelas tranças. E todos os dais eu me perco nas curvas daqueles cabelos clarinhos como o sol da manhã mais bonita.

(Karla Thayse Mendes - 12/02/09)

Aviãozinho de papel...

Ilustração: Irisz Agocs
Quando Davi aprendeu a fazer um aviãozinho de papel decidiu sair voando por aí. Tirou a coragem mais sorridente que tinha no bolso e decolou, subiu até o céu azul sem fim. Num vôo pleno, passeou por entre as nuvens e viu que elas eram mesmo feitas de algodão. Acompanhou um grupo de gaivotas que por ele passou e encantou-se com aquele exemplo de amizade. De lá de cima a terra era tão pequenina quanto sua bola de gude azul. Davi sentiu-se grande por dentro e por fora, na mente e no coração. E quando o sol começou a bocejar ele foi descendo até pousar devagarzinho no quintal da sua casa, com cuidado para não machucar as flores do canteiro. E antes de dormir ele guardou o aviãozinho debaixo da cama, caso quisesse voar outras vezes.

(Karla Thayse Mendes - 10/02/09)

De uma Ladeira raquítica a uma Escada bombada...

No princípio era apenas uma Ladeirinha magra. Aos poucos foi crescendo e trabalhando a musculatura até que ficou toda dividida, cheia de degraus. Pois é, nem as ladeiras escaparam do modismo ditado pela busca obsessiva do corpo perfeito. E agora as academias estão cheias de ladeiras desesperadas querendo ser escadas perfeitas, para isso, levantam quilos e mais quilos de peso incansavelmente.

(Karla Thayse Mendes - 11/02/09)

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Circo com pipocas...

Ilustração: Irisz Agocs
Respeitável público, o Circo Real apresenta o espetáculo grandioso da vida! Na verdade a vida é um grande picadeiro de cores com pipocas e balões de soprar. De máscaras coloridas, saias de filó, purpurinas e confetes, saímos de trás das cortinas e entramos em cena. O menino descalço faz malabarismo todos os dias no sinal pra alimentar os quatro irmãos pequenos que estão em casa. Concentração... As bolinhas não podem cair! Que rufem os tambores! Lá vem a moça equilibrista tentando atravessar o fio estreito da desigualdade, ela conseguirá? Vejamos... A nossa próxima atração é o grande mágico João Pacífico e o número especial de hoje é... isso mesmo, ele vai tirar a paz de dentro da sua cartola mágica! É meus caros, ela deve estar escondida lá ha muito tempo mesmo porque nunca mais a vimos. Ora, ora, ora! Continuemos... No número do arremesso de facas Antônio Pessimista tenta cercar sua assistente Maria Esperança. Ufa! Por pouco ele não a acertou. No nosso grande globo da morte estão a incrível Arara-azul e o grande Mico-leão-dourado, será que eles irão resistir? E a última e não menos grandiosa atração de hoje é o Palhaço Zé Cosquinha, ele vem de cara pintada e cheio de graça pra lembrar que a gente ainda sabe sorrir. Porque não existe vida sem alegria e não existe circo sem palhaço.

(Karla Thayse Mendes - 12/02/09)


O sonho de Joselito...

Joselito era um burro do interior que sonhava em ser cavalo de corrida. Essa idéia morava em sua cabeça desde o dia em que passara pelo Beco da Luz e vira na televisão da venda de seu Pedro um espetáculo de corrida com cavalos numerados. Aquilo enchera seus olhos de euforia. Cansara daquela vida de burro carregador e todo aquele peso resultara em dores freqüentes na coluna. Todos os dias o mesmo trajeto: levava os galões de leite da fazenda até a cidadezinha, uns 40 km de caminhada penosa. Sonhava em correr, correr contra o vento, até algum lugar. Um certo dia decidiu: desatou o nó da corda que o prendia à amendoeira, tirou aquele fardo das costas e correu... correu leve pela estrada sem destino. O horizonte era pleno, sem fim. Nas costas agora carregava somente a esperança. E voou pelo chão como aquele cavalo de corrida que um dia vira na TV, correu ao encontro do seu destino. Quiséramos nós tirar das costas tudo o que pesa e correr para a liberdade, o problema é que muitas vezes não temos coragem de desatar os nós que nos prendem ao pé de amendoeira, então passamos a vida toda imaginando como teria sido, e a vida passa... continuamos amarrados, cheios de nós.

(Karla Thayse Mendes - 11/02/09)

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Tristeza de Flor...

Ilustração: Irisz Agocs
Uma Flor nunca deveria entristecer. Ninguém nunca ensinou a as Flores como lidar com as amarguras da vida. Normal, visto que muitos de nós também não sabemos administrar alguns sentimentos. Ora! Não acho certo um ser de tamanha delicadeza carregar nas pétalas fardos tão pesados de infelicidade. Toda vez que uma Flor chora, lágrimas inundam campos e cidades, o grito de uma Flor faz o chão tremer de medo. Quando as flores murcham, o vento sopra bem forte derrubando muros e frutos. E o homem, em sua tola intelectualidade cria aparelhos tecnológicos e explicações banais para justificar enchentes, terremotos e vendavais, quando tudo isso nada mais é do que uma pequena Flor infeliz em algum jardim do Planeta. Então façamos as Flores felizes, sorriso de Flor é um dia estiado, alegria de Flor é arco-íris nascendo.

(Karla Thayse Mendes - 10/02/09)

A briga das Escovas de dentes...

Ilustração: Irisz Agocs
Um casal percebe que acabou o amor e o convívio a dois fica impossível quando suas Escovas de dentes não conseguem mais viver no mesmo armário. Afinal, tem que amar muito mesmo para dividir um espaço tão pequeno o tempo todo. Quando o Senhor e a Senhora Escovas começam a insultar-se e o toque das cerdas de um incomoda o outro, quando os olhares de um não encontram mais o carinho do outro, é chegada a hora do ponto final. Então, se você não consegue escutar o que seu Coração tem a dizer, escute ao menos a sua Escova de dentes.

(Karla Thayse Mendes - 10/02/09)

Matemática...

Eu contesto a plena convicção da matemática. Nenhuma verdade é absoluta e nenhuma ciência é 100% exata. Me ensinaram por osmose que 1 + 1 = 2. Acredito que 1 + 1 só podem ser 2 se ambos estiverem dispostos a somar, se não, 1 continua sendo um e o outro 1 vai pela mesma linha. Seguem por equações diferentes. Podem passar por divisões, multiplicações, somas importantes e até por subtrações dolorosas. Essa é a matemática na qual eu acredito.

(Karla Thayse Mendes - 10/02/09)

Macaquices...


Quando o macaco Maneco apaixonou-se por Laura, a macaquinha da árvore da frente, decidiu enfrentar toda a bicharada da floresta para viver esse romance. Todos diziam: " cada macaco no seu galho". Mas Maneco não deu ouvidos aos comentários, arrumou sua trouxinha e foi viver com Laura num galho só.

(Karla Thayse Mendes - 23/02/09)

Receita de Mundo assado...

Ilustração: Manon Séarlait
" Para assar um bolo, pré aqueça o forno a 180º e deixe-o lá por cerca de 45 minutos ". Esses dias eu tentei fazer um bolo de laranja seguindo a receita de um livro da minha vó, e ... bem, teria dado certo se eu não tivesse me distraído com a leitura e deixado o bolo queimar. Resultado: O mau cheiro tomou a casa e ninguém provou uma fatia sequer do meu bolo de laranja queimado. Há muito tempo atrás, um grande chefe planejou a receita perfeita com os ingredientes mais saborosos que haviam na sua cozinha azul-celestial gigantesca. Preparou a massa com as próprias mãos e então, estava pronto o bolo de Mundo. Coube a nós a simples missão de colocar o bolo para assar seguindo um grande livro de receitas com todas as instruções. Ainda assim, todos os dias nós esquecemos o bolo no forno a 295º e deixamos passar do ponto. Queimamos nossa fé, nossa paz, nosso amor ao próximo. O odor de quiemado alastra tudo e a receita perfeita desanda. Se seguíssemos fielmente as receitas do grande livro não deixaríamos o bolo queimar todos os dias e teríamos um bolo redondo perfeito recheado de felicidade. Então ninguém mais sentiria fome.

(Karla Thayse Mendes - 10/02/09)

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Conto de fadas...

Ilustração: Irisz Agocs
Penso que se a Cinderela não tivesse perdido o sapatinho de cristal não teria vivido uma linda história de amor, se a Branca de neve não tivesse comido a maçã enfeitiçada não teria sido acordada com um beijo encantado e se a princesa tivesse sentido nojo de beijar o sapo ele não teria virado príncipe. Por isso não se irrite quando perder o ônibus, o homem da sua vida pode estar sentado no próximo. E se sua carruagem virar abóbora, faça um doce de abóbora bem gostoso. O encanto só termina à meia-noite se você quiser, se preferir pode viver feliz para sempre.

(Karla Thayse Mendes Mendes - 15/01/09)

Teu sorriso...

Quando sorris
parece que o céu abre os braços pra mim
me chamando pra abraçar.
O som do teu riso
mais parece a música das ondas de um mar.
Ah, se tu soubesses como esse teu sorriso me faz feliz .
Já tirei as pilhas do relógio
talvez assim eu consiga parar o tempo aqui,
congelar essa hora.
Te ver sorrir assim, para todo o sempre,
só pra mim.

(Karla Thayse Mendes - 15/01/09)

Gotas de Chuva no telhado...

Ilustração: Irisz Agocs
A Chuva que cantou a noite passada no meu telhado veio me falar em versos e rimas que tristeza de menina faz o céu todinho chorar e o Pinguinho que passou pela goteira segurou firme a minha mão e me ensinou que toda dor passa. Se as águas tudo podem lavar, oh querida Chuva eu te peço, limpa em mim toda réstia de agonia, lava essa crosta que cobre meu coração e me ensina o amor. Faz chover de mim gotas de felicidade, pra meu sorriso escondido poder sair de trás das minhas cortinas cinzentas.

(Karla Thayse Mendes - 15/01/09)

O Menino pescador...

Ilustração: Irisz Agocs
A jangada saiu de manhã bem cedinho. No meio do Mar, onde um fio de águas atravessa o horizonte, o Menino pescador jogou sua rede. Um risco de Sol já tocava seu rosto e a Brisa travessa soprou um carinho, fazendo voar seu chapéu pra bem longe. Esperou enquanto cantarolava uma canção com um Pássaro azul. E quando sentiu pesarem os braços, encheu o peito e puxou com força. Não veio peixe de lá... o Mar mandou seu tesouro maior. E não é de tesouros perdidos de piratas que eu falo. A rede do Menino veio cheia de paz, a paz que habita o silêncio dos mares. Então ele colocou tudo na sacola de couro e distribuiu mundo afora.

(Esta é uma história baseada em sonhos reais. E não é conversa de pescador não... pode perguntar ao Cavalo marinho, ele estava lá.)

(Karla Thayse Mendes - 15/01/09)

A Menina cheia de asas...

Ilustração: Dudadase
Eu tenho asas. É, dessas que os anjos têm. Vôo pelo céu todinho estrelado, danço uma valsa com a Brisa da manhã, escorrego no Arco-íris mais colorido, brinco de pega-pega com os Pássaros... e quando estou cansada, descanso no colo de uma Nuvem. Segura na minha mão, vem! Não tenha medo. Eu te levo pra ver o céu, onde a magia transborda em imensidão. Todas as estrelas te esperam e a lua quer abençoar você e eu. O céu é todo de nós dois... Azul e infinito, como nosso amor.

(Karla Thayse Mendes - 15/01/09)