terça-feira, 5 de julho de 2016

Ela, lua cheia...


Ilustração: Marianne Berguer
Naquela noite ela era toda lua cheia. 
Cheia de esperanças novinhas, 
cheia de fé e de amor. 

(Karla Thayse Mendes - 07/07/2012)

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Sobre vôos e quedas...

Ilustração: designUp
Soprava um vento sul. Passarinho viu o céu num azul tão lindo que se encheu de vontade de voar e foi. Aquela liberdade era tão fascinante! Vôou tão alto quanto jamais ousara. E já na descida, pobrezinho! Machucou a azinha esquerda e pôs-se a chorar. Sentiu uma dor tão profunda que perdeu desde então a coragem de voar outra vez. Todo dia de céu azul, seu coraçãozinho enchia-se de esperança e vontade de alçar vôo, mas lembrava-se do tombo, abaixava a cabeça e continuava a caminhar. Um dia encontrou um alçapão armado no chão, entrou. Agora mora em uma gaiola pendurada num prego qualquer de um quintal desses. Ali, sente-se seguro, sabe que não há risco de machucar-se outra vez. Mas chora baixinho quando olha o céu de longe e canta sua tristeza todos os dias.

(Karla Thayse- 05/10/10)

Das decepções...


Ilustração: Ana Oliveira

Jurou que nunca soltaria minha mão
e deixou-me cair no abismo.

(Karla Thayse Mendes - 08/09/11)


"A pior coisa do mundo é
quando alguém faz você se sentir especial,
e de repente, te deixa de lado."


[Caio F. Abreu]

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

De todas as saudades...


Ilustração: Christian Asuh
De todas as ausências,
a tua é que mais se faz presente em mim. 
Meus silêncios ainda gritam teu nome,
falta tua luz na minha escuridão.
Se tu escrevesses, certamente devolverias a graça ao meu riso.
Se tu voltasses, voltaria contigo a melodia da minha canção.
Se tu ficasses, seria feliz a vida.
Se tu me amasses, estaria pleno o meu coração. 

(Karla Thayse Mendes)

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Ladrão de sentidos...

Ilustração: Christian Asuh
Acho injusto você chegar assim, roubando os cinco sentidos de mim. Desde que lhe vi só consigo perceber as cores do seu sorriso, tudo mais fica em preto e branco ao redor. E esse cheiro de amor que você espalhou pelo ar, anda invadindo minha casa, meu abraço, meu colchão... Agora, nenhum doce é tão doce para mim quanto o gosto do teu beijo e nenhuma canção me faz dançar tão bem quanto o som do teu riso. Cada arrepio meu cabe direitinho no toque das suas mãos, cabe a curva do meu cangote, cabe toda a minha sorte. Acho injusto você chegar assim, roubando os cinco sentidos de mim. 

(Karla Thayse Mendes - 30/04/15)

sábado, 14 de março de 2015

Dentro do azul do mar...

Ilustração: Wallcoo
Ela sentou-se ali e ficou durante horas admirando o mar em toda sua grandeza , aquele azul infinito sorria misteriosamente convidando-a para um mergulho. Ouviu seu coração cantar um tum-tum mais alto e o passarinho que passava ali pôde ver o brilho de estrela que cintilava daqueles olhinhos negros de jabuticaba. Num impulso, caminhou dois passos rápidos em direção ao mar... Parou na beiradinha, respirou fundo, fechou os olhos e pensou melhor: - E se sofresse um afogamento? - E se fosse devorada por monstros marinhos? - E se uma sereia lhe arrastasse para as profundezas? - E se... Então limitou-se a tocar apenas a pontinha dos pés na água. Pobre menina! Nunca viu corais nem peixinhos coloridos. E todos os dias voltava lá para ver o mar por trás daquelas cortinas molhadas.

(Karla Thayse Mendes)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Vo(Kar)bulário - Amar...

Ilustração: Mônica Crema
Amar é...
Vestir-se de infinitos.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Canção de amor...


Ilustração: Wallcoo
Posso fazer uma linda canção se me deixar tocar as notas do seu coração.

(Karla Thayse Mendes – 19/02/12)

Encantos e desencantos...


Ilustração: Wallcoo
Na dúvida... Ela não beijou o sapo com medo de virar uma sapa, afinal, há feitiços que viram contra o feiticeiro.

(Karla Thayse Mendes – 19/02/12)

domingo, 23 de novembro de 2014

Do que não tem cabimento...

Ilustração: Mônica Crema
Cabe tanto de você no meu sorriso.
Nos olhos fechados cabem as lembranças.
Caberia sua mão na minha.
Caberia seu abraço no meu.
Mas a saudade... Essa já não cabe.
Evade.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Achados e perdidos

Foi quando abri as minhas gavetas de dentro e achei aquela menina travesa de tranças, guardada lá no fundo, com o mesmo sorriso de luz, apesar do tempo, apesar da poeira, apesar de tudo. As vezes a criança que habita em nós precisa sair da gaveta pra nos lembrar que não é preciso ter braços tão longos para abraçar a felicidade.

(Karla Thayse Mendes)

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

A moça feita de estrelas...

Ilustração: Adolie Day
A moça era mais noite do que dia. Era silêncio, sonhos e mistérios. Era céu azul-anil coberto por um brilho que nem todos sabiam ver. Suas estrelas estavam sempre lá, mas só as via quem era capaz de afastar suas nuvens com a ponta dos dedos.

(Karla Thayse Mendes)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Pescando Saberes...




Não é tão difícil a arte da pescaria, não precisa ser nascido e criado à beira no mar e tão pouco precisa ser filho de pescador para realizar tal ofício. A gente pode pescar o que nos cabe, com os objetos que temos nas mãos e dentro do mar que encontramos a nossa frente. E quão bom é pescar no mar de palavras que nos oferece todos os dias fartura de conhecimento. Somos todos professores e alunos – pescadores. Noite e dia jogamos nossas redes purinhas num mar de sonhos, esperamos um pouco sentados na beira do mar e mais tarde recebemos variedades em espécies de saberes. O vento vai levando nossos barcos por novos mares. E não nos falta mar, a gente aprende a pescar na sala de aula, a gente pesca raridades dentro dos mares de um livro e a gente até já sabe jogar nossa rede virtual no grande mar informatizado. E assim a cada dia pescando mais aqui e ali, pescamos o que possa engrandecer nos lindos mares.

(Karla Thayse - 06/08/09)

FELIZ DIA AOS PROFESSORES!